Tuesday, 16 February 2010

Suécia tradições e contradições VI - terça-feira gorda e "semla"

 O frio é um perigo. Sinaliza para o cérebro que o corpo necessita acelerar o processo de acúmulo das reservas de energia, ou seja gordura, e isso redunda num apetite aguçado. E haja gulodice. Comer, comer mais um pouco e comer um pouco mais é a ordem do dia, ou melhor da estação .... ou será do general inverno:)? E de preferência alimentos ricos em conteúdo energético.

E é neste cenário tão propício ao pecado da gula que se insere uma tradição gastronômica que é uma verdadeira bomba calórica: a “semla” (no plural semlor), que é um pão redondo temperado com cardemomo e recheado com creme de amêndoas e um “top” de creme chantilly.



O nome deriva do Latin ”semilia”, que era a palavra usada para designar a mais fina farinha de trigo ou semolina. Embora a semla tenha nascido na Roma antiga, e tenha sido saboreada em quase toda a Europa, é principalmente na Escandinávia que a tradição se mantem. Aqui na Suécia tem até uma academia, a Svenska Semleakademin, dedicada a essa iguaria.

E ainda segundo a tradição é na terça feira gorda (aqui cabe um adendo: na Suécia não tem carnaval) que a semla tem seu ponto alto. É o dia em que é quase obrigatório saborear esse petisco, que também é conhecido como "fettisdagsbulle" que significa bolinho ou pãozinho da terça feira gorda.  É possível encontrá-la em todos as confeitarias e supermercados do país.

Os mais tradicionais gostam de comê-la em uma tigela com leite quente. Essa combinação é conhecida aqui como “hetvägg” (literalmente, parede quente). Mas acompanhada de uma xícara de chá ou café é a forma mais usual nos dias de hoje.

A semla em sua origem era consumida apenas na terça feira gorda, numa época em que o jejum era uma prática comum. Mais tarde, quando o interesse dos suecos pelo jejum diminuiu, tornou-se tradição comer semla toda terça feira durante um período de 7 semanas, nas quais o jejum era instituído.

Uma outra estória meio folclórica conta que  a semla era no início um pão achatado sem nenhum recheio, e era uma das poucas "gulodices" que se podia comer no período do jejum. Para burlar esta prática espartana as pessoas começaram a fazer buracos na semla e colocar (esconder) algum tipo de guloseima lá dentro. O povo sempre dando um jeitinho:)

Um pouco mais de história:
Após um lauto jantar, encerrado com sua sobremesa favorita um “hetvägg”, o rei sueco Adolf Frederick morreu de indigestão no dia 12 de fevereiro de 1771. Esse acontecimento quase iniciou uma espécie da caça às bruxas em relação a semla, que foi considerada uma das causas da morte do rei. Mas isso não impediu que ela se tornasse uma das iguarias mais populares da Suécia, sendo consumida principalmente de janeiro  até a Páscoa.

E para me incluir de forma mais ativa nesta tradição ontem eu me dispus a preparar o tal petisco aqui em casa. Foi minha primeira tentativa, e acho que não me saí assim tão mal:)
Eis o resultado:






A receita:

Massa:
50 g de manteiga
2,5 dl de leite
25 gramas de fermento para pão
uma pitada se sal
0,75 dl de açúcar
1 colher de chá de cardemomo
1 ovo
500 gramas de farinha de trigo

1 ovo para pincelar

Recheio:

200 gramas de massa de amêndoas
1 dl de creme de leite fresco
2 colheres de sopa de conhaque (opcional)
3 dl de creme chantilly
acúcar de confeiteiro

Como fazer:
  1. Derreta a manteiga, junte o leite e aqueça a 37 graus Celsius (quente o suficiente para aguentar a ponta do dedo)
  2. Esfarele o fermento, junte o leite quente e mexa até dissolver o fermento
  3. Adicione o açúcar, o sal, o cardemomo, o ôvo e a farinha.
  4. Sove bem a massa até ficar bem macia. Deixe crescer coberta, por 30 minutos.
  5. Faça pequenas bolas com a massa e deixe fermentar por mais 30 minutos. Pincele com o ovo.
  6. Asse em forno a 225 graus por cerca de 10 minutos. Tire do forno e deixe esfriar .
  7. Corte uma pequena tampa do pão e reserve. Tire parte do miolo e misture com a massa de amêndoas, e o creme de leite. Caso queira tempere com conhaque. Encha o vão feito nos pães com esta mistura.
  8. Em cima do recheio coloque creme chantilly, depois o tampo de pão e povilhe com açúcar de confeiteiro.

Obs:
Caso não ache a massa de amêndoas pronta, pode faze-la da seguinte forma: Tire a pele e moa bem fino cerca de 200 gramas de amêndoas . Junte 2 dl de açúcar refinado e um pouco de água para obter a consitência de pasta. Usando um processador fica mais fácil.

3 comments:

Santinha said...

Lua fiquei super feliz com sua visita.
Li o artigo do Verissimo sobre o bonitão do George Cloney e realmente para falar mal dele tem que difamar mesmo. É outro que não tem perdão (risos)
Agora ser bonita, inteligente, simpática, elegante, fascinante, rica e magra!!!
Não tem perdão mesmo!

Mas vamos combinar heim:
"Mulherão mesmo são aquelas que pegam dois ônibus para ir ao trabalho e mais dois para voltar e, quando chega em casa, encontra um tanque lotado de roupa e uma família morta de fome.

Seu post ficou rico, super detalhado, cheio de informações e dicas precisosas...
A receita é perfeita, mas no momento vou ter que fingir que não entendi...Amiga tô gorda e ando me sentindo uma porca.
Boca fechada tem sido meu lema.

Beijos e lindo fim de semana com frio mesmo. Aqui estamos todos literalmente assando.

Luablue said...

Yvone minha amiga, seus comentários é que são ricos. Obrigada!

passaportelove said...

Oi lua tudo bem??adorei tanto o seu blog que criei um link p/ sua receita rsrsrs(s/plagio)
Parabéns bjkss!

Obrigada pela Visita! Volte Sempre!

*********Venha conferir as novidades*********
There was an error in this gadget