Friday, 29 January 2010

Decorando com tecidos 4

Nada como um frio de -15 graus lá fora para despertar a inspiração  dentro de casa. E como um simples pedaço de tecido pode fazer toda a diferença. Eu tinha este  já há algum tempo, a princípio queria usá-lo para recobrir as almofadas de uma poltrona. Mas  achei que não era suficientemente  resistente para esta função (comprei pela internet). Então a inspiração bateu e decidi usá-lo para mudar a aparência de dois banquinhos aqui de casa.  Um tinha assento marrom e outro verde (esqueci de tirar fotos do antes:). Parte do tecido usei para fazer capas de almofadas.  Amei o resultado:) Achei que proporcionou um contraste bem interessante  ao ambiente. E como o arabesco é em preto (fundo bege clarinho) combina com tudo.

 

  

  






Monday, 25 January 2010

Um sonho: a IKEA no Brasil

Nosos planos de mudança seguem inalterados apesar das muitas dúvidas que de vez em quando me assaltam. Principalmente quando leio sobre a falta de segurança e o mar de corrupção em que o meu querido Brasil está mergulhado. E parece que se afundando cada vez mais.

Mas as minhas raízes falam mais alto, e meu marido sueco é um cidadão do mundo, bem cosmopolita. Portanto acho que não há outro destino final senão a terrinha. Assim nada mais resta a não ser  fazer as trouxas e levantar vôo. Temos mais ou menos 6 meses para dar adeus à Suécia. O problema é que eu queria levar daqui mais do que cabe num modesto container de 33 m3. Principalmente coisas da IKEA.
Objeto de desejo: cadeira tobias (foto copiada do site IKEA)

Como já foi dito e redito, eu amo a IKEA e seus produtos. Outro dia eu comentei com meu marido, sobre a eficácia de  uma campanha para levar a IKEA para o Brasil. Será que o Ingvar Kamprad (fundador e dono) se $en$ibilizaria com um abaixo-assinado de milhares de brasileiros fazendo coro e implorando:) por uma loja do seu grupo em alguma grande cidade brasileira.... São Paulo (ou Campinas.... tenho que puxar a sardinha para a minha brasa hehehe) por exemplo? Por coincidência, no dia seguinte, num jornal local eu li que os noruegueses estavam fazendo uma campanha para levar mais lojas IKEA para seu país. Portanto pode ser que funcione para nós também.
 Hoje antes de escrever este post eu achei em outro blog do Brasil alguém com a mesma idéia: "queremos a IKEA no Brasil"! 
 ... queria poder levar uma cozinha IKEA (25 anos de garantia)  para o meu futuro cantinho no Brasil...
 


 

 

 

imagem copiada do site IKEA
 
 imagem copiada do site IKEA
 
 imagem copiada do site IKEA
. ..ou quem sabe até minha casa ficar pronta já tem uma IKEA por lá:)

Eu tinha pensado em um abaixo-assinado eletrônico e fazê-lo chegar às mãos do Ingvar Kamprad. Quem se habilitar a assinar  pode fazê-lo  aqui .
Uma das exigências para o estabelecimento de uma loja IKEA, é que na região morem pelos menos 300 000 pessoas que possam chegar até a loja em no máximo duas horas de carro. Isso é fichinha para o Brasil:)

Saturday, 23 January 2010

Este prato é uma tentação!

Sim uma tentação até no nome, em sueco " Janssons frestelse", que traduzindo literalmente significa "tentaçäo de Jansson". É um prato bem típico, com certeza conhecido de todos os suecos. Eu já o servi a muitos amigos e familiares brasileiros, tanto aqui quanto no Brasil, e a aprovação foi unânime.
É um gratinado de batatas e pode ser servido como acompanhamento ou mesmo como prato principal numa refeição mais informal. É super simples  de fazer, leva apenas 6 ingredientes.
Os quatro principais aparecem na foto abaixo:
Na foto tem batatas para apenas duas porções.

 Receita para 4-6 porções:

1 kg batatas
2 cebolas grandes
150 ml de leite
250 ml de creme de leite fresco
200 g de filé de anchovas
manteiga ou margarina para dourar a cebola
pimneta do reino a gosto


Descasque as batatas e corte-as em   palitos. Numa panela, coloque as batatas o leite e metade do creme de leite e leve ao fogo para dar uma pré-cozida nas batatas, cerca de 4 minutos de fervuram emxa de vez em quando para não grudar no fundo da panela.

Nesse meio tempo, corte as cebolas em rodelas e leve ao fogo em uma frigideira com amnteiga ou margarina para dourar bem (deixe-as meio amarronzadas).


Monte o prato, colocando metade das batatas numa forma refratária untada  (louça ou vidro) e espalhando a seguir a cebola e as anchovas. Cubra com as batatas restantes. Se sobrar algum líquido do pré-cozimento das  batatas, misture com o restante do creme de leite, junte com o caldo salgado das anchovas, tempere com pimenta do reino moída, e espalhe tudo sobre as batatas.

Caso queira uma cobertura crocante povilhe com farinha de rosca e espalhe por cima um pouco de manteiga em pedacinhos ou derretida.

Leve ao forno a 220 graus celsius por cerca de 40 minutos, ou até que as batatas fiquem bem macias (verifique cou um garfo).


Obs: No Brasil eu não achei anchovas em salmoura, apenas em óleo. Uma versão mais em conta pode usar sardinha anchovada.

Saturday, 16 January 2010

A humanidade mais uma vez de luto

Diante desta grande tragédia que se abateu sobre o Haiti não tenho o menor ânimo para escrever sobre qualquer outra coisa. Seria fútil, vazio e desrespeitoso. Só resta parar para pensar e  refletir sobre  qual é o real sentido da vida. Como somos frágeis, vulneráveis e como tudo é passageiro e efêmero.

Nossas certezas se esvaem face ao poder devastador do imprevisível, do incontrolável. Mas nós seres humanos somos persistentes e não nos rendemos às circunstâncias, por mais cruéis  que sejam. Teimamos em ter esperanças, acreditamos no brilho do sol depois da tempestade.

 Esta é a foto que a maioria dos sites de notícia divulgou logo após o terremoto. O que mais chama atenção nela  é a desolação e o  assombro do olhar desta vítima  diante do inexplicável e doloroso momento.

O único consolo em uma calamidade de tal dimensão é que a humanidade, pelo menos temporariamente, esquece suas "diferenças" e se une em um sentimento único, misto de compaixão, solidariedade e empatia.

Minha mais profunda admiração e respeito por aqueles que se disponhem a ajudar "in loco". Médicos, enfermeiros, bombeiros, soldados, membros da defesa civil. Estes são verdadeiros heróis anônimos.

Que com a ajuda do mundo todo, o povo haitiano possa mais uma vez superar estes momentos trágicos  de muita perda e dor, e  que seu país possa ser reconstruído e um dia se tornar uma nação justa e próspera.

Sunday, 10 January 2010

Frio na barriga!

Hoje lendo num portal de notícias sobre a violência em Campinas, cidade aonde  pretendemos morar, me deu um frio na barriga. Será que estamos tomando a decisão certa?! A notícia lida relata que houve um aumento no número de ocorrências de furtos e roubos na região central da cidade.

Em plena luz do dia e em uma rua movimentada como a 13 de maio, e até  mesmo dentro de estabelecimentos comerciais e veículos de transporte urbano o cidadão não esta livre de ser abordado e vitimado pelos bandidos.

Confesso que fico profundamente abalada nas minhas convicções de mudança. Temo pricipalmente pelo meu marido, que não está acostumado a esse tipo de ambiente, em que o perigo se materializa a cada passo.




Sair de um lugar onde não há necessidade de cercas e muros para morar num país onde o fator segurança é quase uma loteria  que fica  à mercê da sorte, é loucura. É sair do paraíso e mergulhar no inferno.
O problema é que o paraíso pode ser meio insípido e muito frio.


Thursday, 7 January 2010

Brrrrrr!!!!

 Este é o meu primeiro post em 2010. Espero e desejo que este seja um ano mais promissor do que foi o ano passado, mas tenho minhas dúvidas. Pelo menos em termos climáticos e considerando as vidas perdidas, 2010 não começou nada bem.

Até a lua aparece em plena luz do dia!

A natureza segue inclemente o seu curso. As mudanças no clima são  indiscutíveis. Se estão ocorrendo em consequência  da atividade humana é ainda um tema muito contraditório, mesmo entre os pesquisadores da área. Mas o consenso é que já estão aqui agora, não são apenas para amanhã.

O frio  na Europa esta batendo todos os recordes e matando. Os sem teto são os mais vulneráveis. Sim por estas bandas também existem pessoas que moram nas ruas. E com temperaturas  na casa dos  30 graus negativos as consequências podem ser trágicas.

Aqui em Ljusdal, neste momento que escrevo temos -22 graus lá fora. Garanto que é muito frio. Não dá vontade nenhuma de sair, só por necessidade. Mesmo os amantes do frio e da neve estão assustados. Para curtir os  esportes de inverno, como o esqui, é necessário certo conforto térmico, impossível com temperaturas tão baixas.

O jeito é tentar arranjar  alguma atividade dentro de casa para combater o tédio. Assim, nos dias que antecederam o ano novo, resolvemos mudar um pouco a aparência de duas paredes da nossa sala. Trocamos o papel  que estava se soltando. Colocamos um pouco de cor para quebrar a monotonia.

Era assim (foto mais antiga)

Ficou assim

Na noite de passagem de ano tivemos convidados. Eu queria uma foto da mesa, mas na correria acabei esquecendo. Resultado: no dia seguinte compus a mesa de novo, só para a foto, mas as velas já estavam queimadas pela metade:)
Eu usei papel rendado sob os pratos. Foi uma dica que encontrei em um blog aqui da suécia e achei super dez. Fica com  um ar bem festivo e delicado.

Obrigada pela Visita! Volte Sempre!

*********Venha conferir as novidades*********
There was an error in this gadget